Uma breve biografia de Carl Gustav Jung



C.G.Jung


    C.G. Jung ocupa um lugar importante entre as pessoas mais influentes do século XX. Sua psicologia ainda é difundida nos dias atuais. A vida Jung foi uma grande jornada para a profundidade da mente e os segredos da alma. A sua psicologia é uma combinação bem-sucedida do estudo persistente das almas e dos sonhos humanos, da filosofia oriental e ocidental, das religiões, da alquimia, astrologia, sociologia, literatura e arte. Ele teve um olhar profundo para sua própria alma, no anseio de compreender a psique, assim como na análise de diversos pacientes.


Memórias da infância

    Carl Gustav Jung nasceu em 26 de julho de 1875 na pequena cidade de Kesswil, na Suíça. Seu pai, Paul Achilles Jung, era pastor. A mãe de Carl, Emilie Preiswerk, veio de uma família rica com uma longa história. 



    O jovem Jung estudou no Ginásio de Basileia e em 1895 entrou na Universidade também em Basileia. Na escola, ele  demonstrava maior interesse por zoologia, biologia, arqueologia e história. Na universidade ele estudou medicina e finalmente decide se especializar em psiquiatria. Neste momento, ele também se interessa muito pelo conhecimento oculto e lê muita literatura sobre o assunto.


    Em 1900, Carl Gustav mudou-se para Zurique, onde trabalhou na clínica psiquiátrica Burghölzli ( nome atual: Clínica Universitária Psiquiátrica de Zurique ) como assistente do famoso perito e psiquiatra Eugen Bleuler. Naquela época, Jung também publicou seus primeiros trabalhos e contribuições para a psiquiatria. Em particular, isso foi pesquisa no campo das associações de palavras. O trabalho habitual de Jung no hospital consistia em exames de rotina do paciente, registrando seu histórico médico, bem como analisando e avaliando suas opções de cura.

 
Clínica psiquiátrica Burghölzli

   
   Jung em 1902 escreveu sua tese de doutorado dedicada à investigação de eventos ocultos. Ele chamou esse trabalho de "Sobre a psicologia e patologia dos chamados fenômenos ocultos".



    Em fevereiro de 1903, ele se casou com Emma Rauschenbach,  filha de um rico fabricante de relógios de luxo. Nos anos seguintes, eles tiveram cinco filhos. Emma e Jung viveram juntos até que Emma morreu em 1955 depois de 52 anos juntos.

 
Emma e Jung


    Em 1907, Jung publicou seu trabalho "A Psicologia da Demência Precoce" (uma cópia da qual ele enviou posteriormente a Sigmund Freud). Nos trabalhos seguintes, Jung refinou suas idéias sobre as causas psicogênicas desta doença. 

    Aqui tem outro post com a biografia em ordem cronológica da vida e obra de Carl G. Jung:  vida e obra em ordem cronológica


Sigmund Freud e Jung

    O encontro com Freud foi um marco importante na vida e no crescimento científico de Jung. Até o momento do encontro pessoal em Viena, em fevereiro de 1907, Jung já era bem conhecido por suas experiências com associações de palavras e a descoberta de complexos, portanto na minha opinião, assim como muitos "junguianos", Jung não foi discípulo de Freud. Um discípulo não seria o primeiro presidente da Associação Psicanalítica, algo de extrema responsabilidade. Além de ter um nome de grande reconhecimento antes mesmo de trabalhar com Freud. Porém, o mais importante foi que,  Jung contribuiu imensamente com o movimento psicanalítico através de sua autoridade, reputação e talento intelectual e científico. A união desses dois grandes pensadores iniciou com uma grande cooperação produtiva e uma amizade pessoal que durou até 1912. E Jung teve capacidade, intelecto e profundidade suficientes para seguir sozinho, depois junto com seus grandes colaboradores, e criar sua Psicologia Profunda.


    Em 1909, Jung viajou com Freud e Sándor Ferenczi (psicanalista húngaro) para os Estados Unidos da América, onde compartilharam uma série de palestras na Clark University.


   Em 1910, Jung finalizou seu trabalho na clínica Burghölzli e começou a trabalhar em seu consultório particular nas margens do Lago de Zurique. Carl Jung se tornou o primeiro presidente da Associação Psicanalítica Internacional, como já foi aqui citado. Jung estudou mitos humanos, lendas e contos de fadas e os colocou em sua conexão com a psicologia. A amizade com Sigmund Freud mudou e finalmente chegou ao fim.

   

    A principal razão para a tensão entre os dois era uma questão científica sobre o significado da libido e sua verdadeira natureza. Freud acreditava que a força motivadora e causadora diversos transtornos psíquicos era a libido sexual. A opinião de Jung sobre esse tópico era que a perda da realidade (que é observada na esquizofrenia) não pode ser explicada apenas pela supressão da sexualidade. É por isso que Jung usa o termo "libido" para toda a energia psíquica.


 
Jung e Freud


    1913 foi o ano em que a colaboração entre os dois cientistas chegou definitivamente ao fim. Pessoalmente, eles se encontraram pela última vez em setembro de 1913 no IV Congresso Psicanalítico Internacional em Munique. Eles nunca se encontraram novamente depois.


Momento de rompimento com Freud 

    A separação de Freud significou muito para Jung e foi muito difícil para ele. Jung chegou à beira de um colapso nervoso. Nos seis anos seguintes (1913-1918), Jung passou por um momento difícil, que descreveu como um período de "insegurança interior". Na maior parte do tempo, Jung passou a lidar com seus próprios sonhos e fantasias. Para entender seu significado , Jung anotou-os e descreveu-os da maneira mais concreta, direta e exata possível. Durante esse período, um grande manuscrito foi criado, incluindo 600 páginas. É conhecido hoje como o Livro Vermelho. Este livro contém desenhos que Jung fez a si mesmo. O livro está cheio de idéias e pensamentos deste período.
   
    Na década de 20, depois de sua grave crise, Jung fez algumas longas viagens a diferentes partes da África. Ele também visitou os índios Pueblo na América do Norte. Jung publicou um relatório de suas viagens e investigações no livro "Memórias, Sonhos e Reflexões". 


A guerra e depois

    Já na década de 30, Jung era mais conhecido internacionalmente. Ele foi premiado com o título de Presidente Honorário da Sociedade Alemã de Psicoterapia. Em novembro de 1932, o Conselho da Cidade de Zurique concedeu-lhe um prêmio para reconhecer sua obra literária. Ele também recebeu um cheque de 8000 francos pelo seu trabalho.

    Em 1933, Hitler chegou ao poder na Alemanha. A sociedade da psicoterapia foi reestruturada de acordo com os princípios nacional-socialistas. Carl Jung, no entanto, tornou-se presidente da Sociedade Internacional. Naquele momento, isso foi bastante questionado.


Final da jornada de vida


    Em novembro de 1955, a esposa Jung, Emma, ​​morre. Ela foi sua parceira e colaboradora por mais de 50 anos. A prática psicanalítica a levou, de acordo com sua própria convicção, com base nas teorias de seu marido.
 

    Pouco antes de sua própria morte, Jung terminou seu livro autobiográfico "Memórias, Sonhos e Reflexões". Além disso, com o empenho de seus mais importantes colaboradores, foi escrito o livro de cunho mais popular "Homem e Seus Símbolos", no qual as idéias e conceitos mais importantes da psicologia analítica foram descritas de uma maneira simples e compreensível para todos.
 
 
Casa de Jung em Küsnacht, hoje Museu


    Jung morreu após uma breve doença em 6 de junho de 1961, em Küsnacht, no lago de Zurique.





Referência Bibliográfica:
Jung, C.G: Memórias, Sonhos e Reflexões
Da Silveira, Nise: Jung, Vida e Obra
Fontes Online:  jung deutsche biografie

                         Clínica Psiquiátrica de Zurique ( Burghölzli)

                          MUSEUM casa de Emma e Carl G. Jung 





You Might Also Like

0 comentários